Projeto social no Ceasa prepara alunos para mercado de trabalho


Últimos Vídeos

18/12/2018
PREGÃO PRESENCIAL Nº 014/2018

13/12/2018
PROCEDIMENTO LICITATÓRIO N.º 007/2018

14/11/2018
PREGÃO PRESENCIAL N.º 012/2018

ver todas as licitações em andamento.
 
  Prímula

A prímula é uma planta herbácea e florífera, utilizada principalmente na decoração de interiores. Ela não possui caule e seu porte raramente ultrapassa os 30 cm de altura. Suas folhas são simples, de margens denteadas, cordiformes a arredondadas, dispostas em roseta, com longos pecíolos e recobertas com tricomas urticantes. As flores surgem no final do inverno e na primavera, em inflorescências terminais, sustentadas por uma longa haste floral acima da folhagem, como um buquê. Elas são numerosas, simples ou dobradas, e delicadamente perfumadas, em uma grande variedade de tonalidades de rosa, roxo, vermelho, laranja, salmão e branco. Geralmente suas flores têm cores mais suaves, se comparadas com as da espécie Primula x polyantha.

Estas prímulas de flores grandes e vistosas, emolduradas pela folhagem verde aveludada, são como lindos buquês, perfeitos para decorar a casa. Especialmente selecionadas para a utilização em vasos e jardineiras, elas acrescentam uma atmosfera muito romântica com suas flores de tons pastéis. Apesar de originalmente perenes, elas deve ser tratadas como anuais, pois perdem a beleza após o florescimento e suas próximas florações dificilmente serão tão esplendorosas como a primeira.

Esta espécie de prímula é considerada tóxica, e a manipulação da planta pode provocar irritação na pele e mucosas de pessoas sensíveis. Por este motivo também não é recomendado deixar a planta ao alcance de crianças e animais domésticos. Uma série de cultivares, conhecida como Twilly, foi desenvolvida sem as toxinas (primina e primetina) que provocam irritação na pele e portanto, deve ser segura ao toque.

 

 

Autor: jardineiro.net


+ Dicas

 

Desenvolvido por: CiaPixel Agência Digital