Completo - Ceasa Gourmet com Felipe Bronze


Últimos Vídeos

18/09/2017
PREGÃO PRESENCIAL Nº 005/2015

14/09/2017
PREGÃO PRESENCIAL N.º 015/2017

13/09/2017
PREGÃO PRESENCIAL N.º 014/2017

ver todas as licitações em andamento.
 
          CEASA 38 ANOS

Ouça o spot da chamada do Jardim Sensorial

EXPOSIÇÃO DE UM JARDIM SENSORIAL

Haverá a abertura da exposição de um Jardim Sensorial – um espaço para vivenciar a natureza e os sentidos e preparado para receber pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. O Jardim foi projetado pela equipe do renomado paisagista Raul Cânovas.

ABERTO AO PÚBLICO. PARTICIPE!

O evento é aberto à comunidade e a convidados com apresentação cultural, exposições e atividades de saúde e educação nutricional. Comerciantes do Mercado de Hortifrutigranjeiros vão oferecer uma degustação e uma variada mesa de frutas.

A festa vai contar com as presenças do prefeito de Campinas, Jonas Donizette, e do governador do estado, Geraldo Alckmin.

A Ceasa fica na rodovia Dom Pedro I, km 140,5 – em Campinas/SP.



Ceasa-Campinas: qualidade e compromisso social e ambiental

De madrugada enquanto a maioria das pessoas ainda dorme existe um espaço em Campinas que já está a toda velocidade para garantir o pé de alface fresquinho na feira, a fruta no varejão, os legumes no supermercado e as flores e plantas que embelezam nossas vidas. É a Ceasa Campinas - a Centrais de Abastecimento de Campinas S.A. - uma empresa da administração indireta da Prefeitura de Campinas, sua maior acionista. O entreposto se destaca nacionalmente pela infraestrutura, qualidade e variedade de produtos, além de importantes ações sociais e de segurança alimentar.

Emprego na cidade e no campo

A Ceasa Campinas gera cerca de 5,3 mil empregos diretos e mais de 20 mil indiretos e é uma importante estrutura de escoamento para os agricultores. A distribuição dos produtos pela Central garante a comida na mesa; as plantas e flores de milhares de projetos, estabelecimentos e residências, além de assegurar a produção rural e milhares de empregos no campo.

4ª maior do país

A Ceasa Campinas é o 4º maior entreposto do Brasil. Conforme dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) – órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - o Brasil conta com mais de 70 entrepostos de distribuição de hortifrutigranjeiros públicos. Eles movimentam cerca de R$ 17 bilhões por ano, englobam 10 mil empresas e geram 200 mil empregos diretos.

R$ 105 milhões mensais

A Ceasa Campinas abriga 2 mercados: 1 de hortifrutigranjeiros e 1 de flores e plantas ornamentais. Os mercados somam cerca de 1.300 lojas para comercialização (boxes e pedras) onde aproximadamente 920 permissionários (comerciantes) movimentam uma média de 66 mil toneladas de produtos por mês, o equivalente a cerca de R$ 105 milhões mensais.

15 mil pessoas por dia

Em uma área de 500 mil m2, a Central recebe em torno de 15 mil pessoas por dia e oferece uma infraestrutura completa, é praticamente uma cidade dentro da cidade.

Infraestrutura completa

Possui estacionamento com mais de 3.000 vagas para veículos de passeio e de carga e estacionamento para motos e bicicletas; plataformas cobertas para carga e descarga de produtos; áreas de beneficiamento e de depósitos e mais de 100 câmaras frias com capacidade para conservação de mais de 7 mil toneladas de produtos.

Também conta com segurança 24 horas e sistema de vigilância com mais de 60 câmeras de alta tecnologia e controle de acesso nas portarias. Tem uma usina geradora de energia elétrica; ambulatório médico; além de serviços de apoio como 5 bancos, lojas de insumos e de embalagens, lotérica, banca de jornal, despachantes, seguradoras, escritórios de contabilidade e restaurantes.

Localização privilegiada

Outro diferencial da Ceasa Campinas é a excelente localização. Fica na rodovia Dom Pedro I, com acesso às principais estradas interestaduais e ao Aeroporto de Viracopos que está em obras para expansão e será o maior do país.

Mercado de Hortifrutigranjeiros: completo

O Mercado de Hortigranjeiros da Ceasa-Campinas movimenta cerca de 60 mil toneladas de frutas, verduras e legumes por mês, o equivalente a cerca de R$ 95 milhões mensais.

Numa área de 300 mil m2, o cliente encontra serviços de apoio completos como lojas de insumos e embalagens, plataformas de carga e descarga cobertas, galpões de beneficiamento, câmaras frias, acesso gratuito à internet, amplo estacionamento e depósitos.

São mais de 570 permissionários (comerciantes) em cerca de 830 lojas (boxes e pedras) que se destacam por garantir um mix completo do setor de hortaliças e frutas das comuns às mais exóticas, além de ovos, peixes, grãos, alimentos secos e cereais.

O espaço conta ainda com produtos diferenciados como conservas, grande variedade de cogumelos, temperos e pimentas variadas, artigos japoneses, mini hortifrútis para gastronomia, hortaliças processadas, alimentos exóticos, congelados, entre outros.

Recebe cerca de 20 mil clientes vindos de todas as regiões do País. É responsável pelo abastecimento de mais de 500 municípios e recebe produtos de 700 localidades, inclusive do exterior, em especial dos Estados Unidos, países da América Latina e da Europa, da Nova Zelândia e da China.

Espaços de varejo

A Ceasa Campinas administra 3 espaços de varejo. São áreas comerciais fora do prédio da Ceasa próximos dos terminais de ônibus Ouro Verde, Miguel Vicente Cury e Barão Geraldo.

O maior deles, o Hortoshopping Ouro Verde, tem 7 mil m2 e 31 lojas e serviços como bancos e postos de atendimento ao cidadão. No local passam mais de 65 mil pessoas por mês. O varejão instalado no Hortoshopping - de uma grande rede com 25 lojas - tem o terceiro maior volume de vendas da rede.

Maior Mercado Permanente de Flores da América Latina

Na Ceasa Campinas funciona o maior Mercado Permanente de Flores e Plantas Ornamentais da América Latina. É responsável pela distribuição de 40% das flores e plantas ornamentais do setor atacadista do país.

São 100 mil m2 com infraestrutura completa: plataformas de carga e descarga cobertas, depósitos, câmara fria, estacionamento para carros e caminhões, auditório, acesso gratuito à internet e serviços de apoio.

O Mercado que movimenta quase 6 mil toneladas por mês, em torno de R$ 10 milhões mensais. Tem mais de 11 mil clientes cadastrados como paisagistas, arquitetos, hotéis, decoradores, empresários, supermercados, floriculturas, etc. Recebe mais de 30 mil pessoas por mês abastecendo as 5 regiões do País.

É completa: conta com mais de 20 mil itens de flores cortadas e em vasos; plantas ornamentais, forrações, mudas diversas e frutíferas, além de outros 5 mil produtos de acessórios para decoração, eventos, paisagismo e acabamento de arranjos e cestas.

Inaugurado em 1995, o espaço tem 504 pontos de venda (boxes) e cerca de 350 atacadistas (permissionários) que comercializam produtos vindos de quase 70 municípios e do exterior, como Colômbia e Equador. É o principal espaço de escoamento dos produtores de flores de Atibaia, a 2ª maior região produtora do setor no país.

Responsabilidade social e ambiental

A Ceasa Campinas vai muito além de uma estrutura de comércio. Como um equipamento público, a empresa está atenta às demandas sociais, por isso atua como um suporte municipal às políticas sociais e de segurança alimentar da cidade - uma combinação do trabalho emergencial de distribuição de alimentos com ações de geração de trabalho e de transferência de renda.

Segurança alimentar

Dentro da Ceasa funcionam 3 ações de segurança alimentar que distribuem em torno de 6 milhões de quilos de alimentos por ano e beneficiam mais de 70 mil pessoas. Elas garantem o direito ao acesso à alimentação e ainda combatem o desperdício de alimentos.

Banco de Alimentos

O Banco Municipal de Alimentos funciona numa área dentro da Ceasa e é resultado de convênio com a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência e Inclusão Social. Fundado em 2003, o Banco arrecada produtos fora da Ceasa em eventos esportivos e culturais, em supermercados, empresas e por meio de parcerias.

Os alimentos coletados passam por triagem técnica e são entregues para 102 entidades assistenciais de Campinas, cadastradas e acompanhas pela Secretaria de Cidadania. Estas instituições atendem em torno de 45 mil pessoas em situação e risco social: crianças, jovens, desempregados, idosos, deficientes, dependentes químicos, etc.

O Banco combate o desperdício de alimentos. O órgão recebe mantimentos com embalagens com avarias ou que não têm valor comercial, mas aptos para o consumo, e produtos próximos da data de validade que são rapidamente distribuídos e consumidos. O Banco assume a responsabilidade dos produtos doados e presta contas ao doador sobre o destino de todos os produtos.

Ações educativas

O Banco de Alimentos realiza palestras e cursos sobre manipulação e aproveitamento integral de alimentos e oferece orientações diretamente nas entidades e nos eventos. Este trabalho conta com parcerias do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), Sesi, Sesc e Universidade Paulista (Unip).

Pequenos produtores

O Banco tem convênio com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Para incentivar o pequeno produtor, a Conab compra os produtos destes agricultores e distribui para ações de segurança alimentar de todo país. O Banco de Alimentos de Campinas recebe da Conab e distribui às entidades uma média de 40 toneladas de verduras, legumes e frutas por mês, parte deles orgânicos, produzidos sem agrotóxico.

Prêmio

O Banco de Alimentos recebeu o prêmio de responsabilidade social da CPFL e da Rede Anhanguera de Comunicação (RAC), um reconhecimento público da importância deste trabalho.

Cestas Básicas

O Banco de Alimentos faz a logística, análise técnica e distribuição de cerca de 6 mil cestas básicas mensais compradas pela Prefeitura, através de um programa da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência e Inclusão Social. As cestas são destinadas a famílias em situação de risco social.

ISA

Também funciona dentro da Ceasa Campinas uma ONG chamada ISA - Instituto de Solidariedade para Programas de Alimentação. Ela foi criada e é administrada pelos permissionários (comerciantes) desde 1994. A ONG surgiu para combater a fome e o desperdício garantindo o aproveitamento do excedente de hortifrútis e incentivando doações dos comerciantes.

O ISA arrecada doações de frutas, verduras e legumes dos permissionários da Ceasa, depois seleciona, higieniza e distribui. São uma média de 300 toneladas de hortifrútis arrecadadas mensalmente que são doadas para cerca de 100 entidades assistenciais e mais de 12,5 mil famílias.

A entrega para as famílias acontece diretamente nos bairros de maior vulnerabilidade social da cidade, em mais de 80 de pontos de distribuição. Este trabalho conta com o apoio da Ceasa, da Assoceasa (entidade que representa os permissionários do Mercado de Hortifrútis), da Federação das Entidades Assistenciais de Campinas (Feac) e de empresas mantenedoras.

Alimentação escolar: modelo com a Ceasa garante qualidade

A Ceasa Campinas é responsável pela operacionalização do Programa Municipal de Alimentação Escolar da cidade e trabalha junto com a Secretaria Municipal de Educação. Na Central funciona um departamento do Programa que elabora o cardápio, faz supervisão nas escolas, a logística, a recepção e controle de qualidade dos alimentos da merenda e entrega nas escolas.

O modelo da alimentação escolar em Campinas é uma referência nacional em termos de qualidade – já ganhou o Prêmio Gestor Eficiente da Merenda Escolar - e por apresentar uma alternativa ao padrão terceirizado, colocando a operacionalização numa Central de Abastecimento pública, sem custos administrativos e com foco na segurança alimentar.

220 mil refeições por dia

Diariamente a Ceasa distribui cerca de 100 toneladas de produtos para garantir as mais de 220 mil refeições servidas diariamente na merenda.  O Programa atende em torno de 570 unidades escolares da cidade - escolas municipais e estaduais, salas de aulas de jovens e adultos e entidades assistenciais.

Alimentação saudável

A prioridade do Programa de Alimentação Escolar de Campinas é uma alimentação saudável. Por isso, investe muito em educação nutricional e na qualidade das refeições.

Há mais de 15 tipos de cardápio planejados por uma equipe de nutricionistas que são elaborados de acordo com o tipo de unidade e faixa etária: ensino infantil, fundamental, educação de jovens e adultos, entidade. As refeições são completas, com arroz, feijão, carne, legumes, salada, suco natural e sempre uma fruta de sobremesa.

Na alimentação escolar da cidade há produtos integrais e de pequenos produtores rurais - alguns deles orgânicos, sem uso de agrotóxicos. Não há frituras, nem produtos formulados nos menus e é servida uma grande variedade e quantidade de hortifrútis. Por meio de treinamentos e da formulação das receitas, o Programa investe no controle do uso de sal, açúcar e gordura no cardápio. O açúcar foi excluído das preparações do cardápio das crianças menores de 1 ano de idade.

Educação nutricional

Outra preocupação é com a capacitação das profissionais para garantir a qualidade e com a educação nutricional de todos os envolvidos no Programa, inclusive os pais. As nutricionistas fazem supervisão periódica nas escolas, além de organizar e ministrar cursos na cozinha experimental da Ceasa para as mais de 900 cozinheiras do Programa.

Elas também realizam palestras de educação nutricional para pais, professores, diretores e alunos. Por exigência da Ceasa, as cozinheiras têm dois cursos de atualização e aperfeiçoamento por ano, garantidos nos contratos com as prestadoras de serviços de mão de obra.

Cardápios para diabéticos e alérgicos

O Programa desenvolve projetos especiais como a padronização e testes das receitas e cardápios para atender crianças com diabetes e com alergia a alguns alimentos como a lactose.

Gestão de resíduos: trabalho e renda e
benefício ao meio ambiente

800 toneladas de lixo geradas pelas atividades da Central. É uma das poucas ceasas do país a garantir o reaproveitamento dos resíduos.

São três ações principais.

  • A coleta seletiva de materiais recicláveis - como plástico, papel vidro e metal - que é realizada por uma Cooperativa, a Unidos na Vitória. A madeira descartada também é recolhida pela Ceasa e aproveitada pelos cooperados. A Cooperativa funciona dentro da Ceasa e garante trabalho e renda a cerca de 20 famílias.
  • A educação ambiental junto à comunidade da Ceasa, com faixas e panfletos, orientações.
  • Convênio com a Secretaria Municipal de Serviços Públicos para o reaproveitamento dos resíduos orgânicos.

A Ceasa Campinas vai implantar um Novo Plano de Gestão de Resíduos em acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, da lei federal 12.305/10.

Resultados

Em 2006 - quando foi iniciado o trabalho de gestão de resíduos - todo o lixo orgânico e a madeira eram enterrados e somente 17 toneladas de resíduos recicláveis eram reaproveitados pela Cooperativa que tinha 8 pessoas.

Atualmente a Cooperativa conta com cerca de 20 pessoas, são recolhidas e reaproveitas quase 40 toneladas de recicláveis e mais 44 de madeira e o lixo orgânico pode ser reaproveitado.

Prêmio

Este trabalho de gestão de resíduos da Ceasa Campinas já foi um dos ganhadores do prêmio de responsabilidade ambiental do município promovido pelas empresas Rede Anhanguera de Comunicação (RAC) e Sanasa.

O trabalho de resíduos na Ceasa e a Cooperativa contam com o apoio da Associação dos Permissionários da Ceasa (Assoceasa) e da ONG Centro de Referência em Cooperativismo e Associativismo (CRCA).

Inclusão digital: cursos de informática e
acesso grátis à internet

Na Ceasa Campinas há dois espaços de inclusão digital com computadores, acesso à internet e cursos de informática, tudo de graça.

No Mercado de Flores funciona o Telecentro Primavera, do Programa Jovem.Com da Prefeitura de Campinas. A sala tem dez computadores e impressora e jovens monitores que ministram os cursos e orientam os frequentadores.  No Mercado de Hortifrutis há o Centro de Apoio Digital, com outros cinco computadores.

O Telecentro conta com a parceria da Informática dos Municípios Associados (IMA) na manutenção dos equipamentos. Ambos são projetos de inclusão digital que beneficiam toda comunidade da Ceasa e da região.


▲TOPO

Ceasa Campinas expõe Jardim Sensorial na comemoração do aniversário de 38 anos

Cheirar. Tocar. Degustar. Ouvir. Ver. Enfim, sentir. A Centrais de Abastecimento de Campinas (Ceasa) com a exuberância e diversidade das formas, cores, sabores e cheiros de suas frutas, hortaliças, flores e plantas é um convite à experiência dos sentidos. Nada melhor então que comemorar os 38 anos do entreposto com um trabalho que celebra esta vocação.

A Ceasa Campinas - a 4ª do país e que tem o maior Mercado Permanente de Flores da América Latina - vai abrir a exposição de um Jardim Sensorial para marcar seu aniversário. O espaço funcionará de 9 a 13 de abril, numa área de 100 m2 dentro do Mercado de Flores da Ceasa. A abertura da programação do aniversário e do Jardim acontece no dia 9 de abril, às 9h30, no Mercado de Flores da Central, na rodovia Dom Pedro I, km 140,5, em Campinas/SP.

Experiência para os sentidos

No Jardim Sensorial os visitantes terão a oportunidade de entrar em contato com a natureza e experimentar os seus sentidos de uma forma diferente. O visitante será envolvido por sons, cheiros, texturas, imagens e sabores; poderá tocar as plantas e objetos no trajeto garantindo a todas as pessoas a possibilidade de vivenciar o Jardim, mesmo aquelas com alguma deficiência.

O espaço foi preparado para receber pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Todo o projeto será montado com impressos em braile, caminho adequado para cadeirantes, bancadas rebaixadas com as plantas e hortaliças que poderão ser tocadas e elementos como degustação de alimentos, músicas e odores.

PROJETO É DO RENOMADO PAISAGISTA RAUL CÂNOVAS

O projeto denominado “Jardim dos Sentidos” é da Associação Nacional de Paisagismo, da equipe do premiado paisagista, Raul Cânovas, com a colaboração dos paisagistas Alice Izumi, Fabiana Santiago e João Jadão.

Cânovas já trabalhou com o arquiteto e artista Burle Marx, desenvolveu projetos importantes como a revitalização do Centro da cidade de São Paulo. É autor de livros e articulista de mídias sociais e impressas.

O Jardim Sensorial ficará aberto à visitação pública na Ceasa Campinas, de 9 a 13 de abril, sendo possível agendar uma visita monitorada para grupos pelo telefone (19) 3746-1047. Horários e outras informações pelo site da empresa www.ceasacampinas.com.br.

A implantação do espaço contou com a colaboração da Secretaria Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida; da entidade Pró-Visão; de estudantes de Arquitetura da PUC-Campinas; da Associação dos Produtores e Comerciantes do Mercado de Flores (Aproccamp); da Associação dos Permissionários da Ceasa (Assoceasa) e dos comerciantes do Mercado de Flores da Ceasa.

Aguçar os sentidos

Segundo Cânovas, o conceito do espaço é aguçar os sentidos fazendo com que todo visitante, inclusive aqueles com deficiência, possa circular por ele e se deliciar com sensações e estímulos.

“No pórtico de entrada, mensageiros de ventos farão uma pequena cortina desconfortável. Caminha-se por uma área escura, com elementos e vegetações mais agressivas: caixotes pretos de várias alturas e vegetações pontiagudas”, descreve o paisagista.

O percurso avança, conta ele, para uma área de transição onde as sensações de introspecção e mistério passam para um equilíbrio visual e sensitivo. Grandes vasos com uvas, toras com cascas macias e vegetações mais volumosas fazem parte desse trecho.

Na sequência, o percurso evolui para um ambiente mais agradável. O visitante contemplará um "tapete de vegetação" branco e amarelo. “Uma área transbordando luz e suavidade com uma escultura inserida no canteiro, onde a ilusão de ótica faz uma brincadeira: ao sentar-se em frente à escultura, em um único ponto, será possível vislumbrar uma árvore”, explica Cânovas.

▲TOPO

Confira a Programação de aniversário da Ceasa Campinas

9 de Abril

  • Abertura das comemorações
    • 9h30, no Mercado de Flores da Ceasa
    • Recepção e mesa de frutas dos permissionários da Ceasa
    • Apresentação cultural do Grupo Primavera: coral e dança de grupo de meninas atendidas pela entidade
    • Ato político com a presença do prefeito de Campinas, Jonas Donizette, e do governador do estado, Geraldo Alckmin
    • Abertura da exposição do Jardim Sensorial: espaço para vivenciar a natureza e os sentidos humanos e preparado para receber pessoas com deficiência e mobilidade reduzida
    • Outras atividades:
      • Exposição do Mercado de Hortifrutigranjeiros da Ceasa com degustações de hortifrútis
      • Exposição do Sindicato Rural de Campinas e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar): cursos, capacitações e orientações ao produtor rural
      • Exposição do Banco Municipal de Alimentos: ações de combate à fome, ao desperdício de alimentos e de educação nutricional
      • Exposição do Programa Municipal de Alimentação Escolar: modelo diferenciado com a operacionalização da Ceasa e que oferece 220 mil refeições por dia em mais de 570 unidades escolares de Campinas
      • Atividade de orientação alimentar: nutricionistas do Banco de Alimentos e da Alimentação Escolar vão fazer o cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC) – medindo a altura e pesando os visitantes - para avaliar sobrepeso e receber orientações
      • Exposição do Instituto de Solidariedade para Programas de Alimentação (ISA): ação dos comerciantes da Ceasa que doam excedentes de comercialização e combatem a fome e o desperdício de alimentos
      • Atividade do Sesi: orientação sobre alimentação saudável e aproveitamento integral dos alimento
      • Exposição do Instituto Estre: ações voltadas ao meio ambiente

9 a 13 de abril

  • No Mercado de Flores da Ceasa
  • Jardim Sensorial aberto à população: visitas para o público em geral ou monitoradas para grupos por meio de agendamento prévio pelo telefone (19) 3746-1047.
    • 9 e 11 de abril: das 13h às 16h
    • 10 e 12 de abril: das 8h às 16h
    • 13 de abril: das 8h às 12h30
  • Exposição do Sindicato Rural de Campinas e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar): cursos, capacitações e orientações ao produtor rural
  • Exposição do Banco Municipal de Alimentos: ações de combate à fome, ao desperdício de alimentos e de educação nutriciona
  • Exposição do Programa Municipal de Alimentação Escolar: modelo diferenciado com a operacionalização da Ceasa e que oferece 220 mil refeições por dia em mais de 570 unidades escolares de Campinas
  • Atividade de orientação alimentar: nutricionistas do Banco de Alimentos e da Alimentação Escolar vão fazer o cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC) – medindo a altura e pesando os visitantes - para avaliar sobrepeso e receber orientações
  • Exposição do Instituto de Solidariedade para Programas de Alimentação (ISA): ação dos comerciantes da Ceasa que doam excedentes de comercialização e combatem a fome e o desperdício de alimentos
  • Atividade do Sesi: orientação sobre alimentação saudável e aproveitamento integral dos alimentos
  • Exposição do Instituto Estre: ações voltadas ao meio ambiente

10 de abril

  • Das 9h às 12h
  • No box F7, do Mercado de Flores da Ceasa

Dia Mundial da Saúde, tema: Prevenção e Combate à Hipertensão – atividade do Sesc, do ambulatório médico da Ceasa e das nutricionistas do ambulatório e do Banco de Alimentos

  • Aferição de pressão arterial
  • Teste de diabetes (glicemia)
  • Verificação de peso, altura e cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC)
  • Orientação sobre alimentação saudável utilizando a pirâmide alimentar
  • Orientação sobre tabagismo
  • Atividade antiestresse com esteira de massagem
  • Orientação sobre saúde bucal e prevenção de doenças orais
  • Atividade corporal e postural que utiliza bambu

11 de abril

  • Das 9h às 12h
  • No Mercado Livre Central (MLC), do Mercado de Hortifrutis da Ceasa

Dia Mundial da Saúde, tema: Prevenção e Combate à Hipertensão – atividade do Sesc, do ambulatório médico da Ceasa e das nutricionistas do ambulatório e do Banco de Alimentos

  • Aferição de pressão arterial
  • Teste de diabetes (glicemia)
  • Verificação de peso, altura e cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC)
  • Orientação sobre alimentação saudável utilizando a pirâmide alimentar
  • Orientação sobre tabagismo
  • Atividade antiestresse com esteira de massagem
  • Orientação sobre saúde bucal e prevenção de doenças orais
  • Atividade corporal e postural que utiliza bambu

4, 11 e 18 de abri

  • Às 8h30
  • Na entidade Casa da Criança Paralítica

Curso do Programa “Alimente-se Bem” do Sesi, para os familiares dos usuários da entidade. A atividade aborda a manipulação correta e o aproveitamento integral dos alimentos.

▲ TOPO

História: Ceasas organizam e equilibram o comércio de hortifrutigranjeiros

As Ceasas foram criadas na década de 70 pela necessidade de organização e aperfeiçoamento na distribuição de produtos hortigranjeiros. Isso aconteceu porque a população nas cidades cresceu muito após a forte industrialização do país a partir dos anos 50.

No começo, as Ceasas eram integradas e formavam o Sistema Nacional de Centrais de Abastecimento (Sinac), da Companhia Brasileira de Abastecimento (Cobal), que hoje se chama Conab - Companhia Nacional de Abastecimento.

Na década de 80 o Sistema foi descentralizado e o controle acionário de algumas ceasas foi transferido aos estados e municípios. Algumas mantiveram o controle federal.

Em Campinas o primeiro comércio público de hortifrútis organizado da cidade foi o Mercado Municipal, em 1908, que funciona até hoje na rua Benjamin Constant, no Centro. Em 1971 foi instalado no Jardim do Lago o Centro de Abastecimento Provisório (Ceab), conhecido como Ceasinha, onde os agricultores e atacadistas comercializavam.

Em 1972 o decreto nº 70.502 fundou a Ceasa Campinas e a empresa começou a operar em 1975.  Em 1989 a Ceasa Campinas foi municipalizada, ou seja, a Prefeitura passou a ter o controle acionário da empresa.

A Ceasa Campinas ampliou sua comercialização em 1983 com uma feira de flores e em 1995 inaugurou o Mercado de Flores. Hoje a Central campineira é referência nacional e é a quarta maior do país.


▲ TOPO

Desenvolvido por: CiaPixel Agência Digital